DESMISTIFICAR O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO


Hoje em dia grande parte das profissões incluem funções que exigem falar em público.
Reuniões com clientes, fornecedores, colaboradores, …
Apresentações … para responsáveis da mesma ou de outras organizações
Comunicações … na reunião de condomínio,
Etc…
São situações que se repetem com cada vez mais frequência na nossa vida profissional ou pessoal.

Onde reside afinal de contas o problema de falar em público?
Porque será que a maioria das pessoas, receiam enfrentar um público?

Para muitas pessoas, o medo de falar em publico é superior ao medo:
Alturas, insetos, andar de avião, Divórcio, Desemprego, Etc…

Afinal de contas;
De que temos receio?
O que realmente nos atemoriza?

Se pensarmos um pouco sobre o assunto, podemos facilmente perceber que:
O medo ou receio que sentimos não é real;
A nossa integridade física não está em causa;
Aconteça o que acontecer, ninguém nos vai agredir ou devorar.

Mas o problema é que o sentimos como se fosse real.
E desencadeamos uma série de mecanismos de defesa que ao invés de nos ajudar, só irá complicar.

O medo de falar em público pode ser transformado na nossa maior força.
Desde que o encaremos de uma forma positiva.
Há que transformar toda a nossa energia interna proveniente do medo em energia positiva.

Canalizando-a em direção ao sucesso:
Aceitar a situação como uma Aventura
Transformar o receio em força, é o nosso maior desafio para vencer o medo.

OS BENEFÍCIOS DO MEDO

A função principal do medo é assegurar a nossa proteção.
O medo apura os nossos sentidos, dado que nos permite ficar mais alerta.
É o medo que nos ajuda a dar uma guinada no volante para evitar um acidente; etc…

Em certas ocasiões, o medo pode mesmo multiplicar as nossas capacidades.
– Muitos atores dizem ter necessidade do medo para atuar com intensidade.
– Atletas dão o melhor de si nas competições, no momento em que o stress atinge o seu máximo.

Acredite: A função original do medo é assegurar a nossa proteção e levar-nos a ficar mais vigilantes.

Já ouviu a expressão “o medo tem olhos grandes”?

Isto é porque em situações de perigo, apresentarmos essa manifestação fisiológica:
Abrimos mais os olhos, para ver melhor onde se encontra o perigo e podermos agir rapidamente.
De repente, todo o nosso organismo está a postos para … fugir … ou entrar em ação.
E tudo isto acontece de forma quase instantânea.

O medo, descontrolado ou excessivo, pode prejudicar-nos:
Paralisar-nos no momento de iniciarmos a comunicação,
Fazer-nos suar “em bica”,
Dar-nos “volta ao estômago”,
Entre outros sintomas pouco agradáveis de recordar. 

Mas, se devidamente controlado e nas devidas proporções o  medo pode ser canalizado para atuar em nosso favor.

Sem medo
A nossa energia pode ser insuficiente para que a nossa mensagem passe com convicção e vivacidade.

Os grandes atores, cantores, etc… que têm exposição face ao público, referem que:
É ao medo que vão buscar a força anímica que alimenta o seu carisma.
Sem ele, o risco de insucesso seria muito maior.

Porque não seguir o seu exemplo e utilizar algumas das técnicas por eles utilizadas.
Se com eles funciona, não há nenhuma razão para que não funcione connosco.

O poder da palavra é das competências mais valorizadas
E dominar as técnicas que nos ajudam a ser bem sucedidos é fundamental.

O sucesso da comunicação passa sobretudo pela atenção que quem comunica dá:
Ao que vai comunicar
E a quem

A falta de preparação é por isso o maior erro em que podem cair os comunicadores.
O controlo da voz,
Os movimentos, a postura e os gestos,
A maneira como encaramos a audiência,
As pausas,
A dicção e a entoação que damos às frases

São competências chave que permitem transmitir mais dinâmica às nossas intervenções.
Para que uma comunicação seja bem sucedida

Temos que dominar três eixos fundamentais: 

Conhecer-se a si próprio,
Para que possa potenciar os seus pontos fortes
Controlar os seus pontos menos fortes,
Desenvolvendo uma comunicação verdadeira e genuína,
Que lhe permita chegar aos seus interlocutores num estilo único e original. 

Dominar bem o tema da sua apresentação
Isso dar-lhe-á segurança na forma como transmite as suas ideias
Permitirá passar uma imagem de confiança e credibilidade.

Conhecer bem a audiência,
Para que possa recorrer à linguagem certa,
Adequar o conteúdo e a forma da sua apresentação.

O grande objetivo é que o público entenda e se entusiasme com a sua apresentação.

Podemos assim dividir estas competências de comunicação em dois grandes grupos:
– Competências verbais – A forma como eu digo aquilo que digo;
– Competências não verbais – O que eu faço enquanto digo aquilo que digo;

Estruture os conteúdos
A estruturação dos conteúdos é fundamental para o sucesso da nossa apresentação.

Há quatro questões que deve colocar a si mesmo:
Qual é o tema?
Quem é o público?
Quais são as circunstâncias?
Quando é a apresentação?

TÉCNICAS PARA CONTROLAR O MEDO

O medo de falar em público é uma das emoções mais frequentemente referidas pelos profissionais da nossa sociedade.

Quando temos de falar em público, nos sentimos pressionados para:
Demonstrar um bom desempenho,
Sentimos a ser avaliados
Colegas, superiores hierárquicos, clientes,
Ou simplesmente uma audiência anónima e queremos ser bem sucedidos.

Conheça o seu público
Antes da apresentação deve reunir o máximo de informação possível sobre a assistência.
Investigue, leia, recolha informação e…prepare-se!

Tenha objetivos claros
Deixe perfeitamente claro para si mesmo qual o objetivo da apresentação.
Será bom comunicar ao público o seu objetivo.

Saiba lidar com interrupções
A melhor forma de evitar interrupções é antecipando-as.
Tal significa que é você, e não a audiência, quem vai levantar a questão.

As vantagens são evidentes:
É você quem determina o timing.
É você quem decide como lidar com o problema e o que dizer.

Crie harmonia com a audiência
As pessoas não estão dispostas a ouvir alguém com quem não se sentem em harmonia, nem por quem não sentem empatia.
Como bom comunicador, cabe-lhe harmonizar-se com a assistência.

Eis alguns conselhos úteis:
Demonstre respeito pelo público;
Utilize uma linguagem perceptível para a audiência;
Assegure-se de que existe um ambiente agradável na sala;
Mantenha o contacto ocular com a audiência;
Procure não criar distância entre si e o público;
Seja cooperante.

Defenda uma IDEIA e não a si mesmo

O ser humano busca aceitação
E quando se aumenta a quantidade de pessoas a chance de agradar a todos diminui.

O segredo para vencer o nervosismo ao falar em público é
Não se esquecer que está a defender uma ideia, não você mesmo.

Assim, mesmo que cometa alguns erros técnicos
Comportar-se com naturalidade e os ouvintes ainda vão acreditar nas suas palavras e aceitar a mensagem.

Controle no início
O início é o momento mais difícil da apresentação.
A adrenalina acabou de ser liberta e você está a tentar se posicionar e até ouvir o som da própria voz.

Saiba exatamente quais serão suas primeiras palavras.

Não confie na memória

Memorizar todas as palavras de uma apresentação, pode parecer seguro e que o vai deixar tranquilo.
Mas, a experiência demonstra que não!!

Ha o risco de esquecimento de uma palavra importante na ligação de duas ideias e a instabilidade e insegurança poderá atacar.

O pior é se decorar uma apresentação
É a pessoa não se preparar psicologicamente para falar de improviso.
E ao não encontrar a informação de que necessita, ficará sem saber como contornar o problema.

Não se precipite

Não comece logo a falar diante do público.
Ganhe tempo para se acalmar e queimar o excesso de adrenalina:
Ajuste o microfone,
Ajeite as suas notas/folhas de apoio,
Olhar para os diferentes lados da plateia, …
Dá tempo para ter um pouco mais de controle, e não demonstrar desconforto e a instabilidade emocional.

Relaxe

No momento antes da sua apresentação, não tente se lembrar de todos os detalhes.
Porque isso só irá trazer mais pressão.
Procure distrair-se, prestando atenção no que as pessoas estão a dizer e nos fatos à sua volta.

Treine em voz alta

Leitura diária em voz alta de textos de jornais, revistas ou livros pode ajudar a melhorar:
A pronúncia
A respirar melhor.

Fale com o espelho

O melhor exercício de oratória é praticar, principalmente a introdução e a conclusão.
Preste muita atenção aos gestos, porque devem de estar em harmonia com o discurso.

Pode também treinar com:
Um amigo ou familiar
Filmar a apresentação e depois avaliar-se.

Enfrente as “Brancas”

Não desespere se lhe acontecer
Mantenha a calma (embora não seja simples), e as suas chances de sucesso aumentarão.

1- Como primeira tentativa, repita as últimas frases que pronunciou,
Como se desejasse dar mais ênfase àquela informação.

2- Se não der certo, diga ‘na verdade o que eu quero dizer é…’.
Isto pode ajudar, porque o obriga a recontar a mensagem por outro caminho.

3- Se não funcionar:
Diga aos ouvintes que voltará a àquele ponto mais tarde.

Olhe para a plateia

A comunicação visual deve atingir três objetivos:
Observar a reação dos ouvintes;
Prestigiar a presença das pessoas
Quebrar a rigidez postural na hora de olhar para um lado e para o outro

Expressão corporal

Os dois maiores defeitos da gesticulação são a falta e o excesso de gestos
Sendo que o excesso costuma ser mais grave do que a falta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018