Liderança Transformacional

LIDERANÇA TRANSFORMACIONAL

Pontos

Procure ser melhor

Resumo

Baseia-se na liderança pelo exemplo e na capacidade de transformar os seus Colaboradores em Pessoas melhores.

Um líder transformacional é aquele que não só inspira os membros da sua equipa dando-lhes espaço para desenvolverem a sua criatividade, autonomia e capacidade de resolução de problemas, mas também é aquele que tem a capacidade de mudar comportamentos.

Temas

Um Líder é bem diferente de um gestor, bem como as suas capacidades.
Foco nos Resultados vs Foco nas Pessoas trazem resultados diferentes.
Teorias Contingenciais desloca a atenção da figura do líder para o fenómeno da liderança.
Teams diferentes requerem um comportamento diferente do Líder.

Resultados:

Adotando estas boas práticas, o líder pode assegurar que a equipa funciona como um relógio, contribuindo assim para o alcance dos objetivos da organização, numa relação win-win entre Colaboradores e Empresa.

Comentários recentes

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018

Teorias Contingenciais

Teorias Contingenciais

Desloca a atenção da figura do líder para o fenómeno da liderança.

No aspecto transacional, estudam o intercâmbio de influência entre líderes e liderados:
Quanto mais positiva essa troca de valores, maior a satisfação, o desempenho e a identificação dos liderados com os objetivos da organização.

Três pilares fundamentais são:
LÍDER, LIDERADOS e a SITUAÇÃO

São 5 as teorias contingências sobre liderança:
            1 – Modelo de Fiedler

            2 – Teoria da Meta e do Caminho
            3 – Teoria Situacional de Hersey e Blanchard
            4 – Teoria do Recurso Cognitivo (Teoria da Troca entre Líder e Liderado)
            5 – Modelo de Participação e Liderança

1- MODELO DE FIEDLER
“ …Um estilo de liderança não é em si mesmo melhor ou pior do que outro, nem tampouco existe um tipo de comportamento em liderança apropriado para todas as condições.

Dessa forma, quase todo mundo poderia ser capaz de ter sucesso como líder em algumas situações e quase todo mundo está apto a falhar em outras…” (Fiedler, F. E. , 1967)

Ou seja:
– A eficácia da performance do grupo depende do ajuste entre o estilo do líder com seus liderados.

– Líderes com distintos estilos de comportamento.
– A relação entre o líder e os liderados define o grau de confiança, credibilidade e respeito que os subordinados têm para com o seu líder.
– A estrutura da tarefa determina o grau com que os procedimentos são estabelecidos no trabalho.

Líderes orientados para tarefa;
São mais eficazes em situações de extremidade, sejam elas, favoráveis ou desfavoráveis;

Líderes orientados para relações;
Têm maior eficiência em situações de dificuldade moderada.

O líder deve flexibilizar e ajustar o seu comportamento à situação.

2- TEORIA da META e do CAMINHO
A teoria enfatiza o relacionamento entre o estilo do líder, as características dos subordinados e o conjunto do trabalho.

O líder deve auxiliar/ajudar seus subordinados na concretização de suas metas, dando:
– Direcionamento,

– Esclarecimento,
– Apoio para alinhar as metas dos liderados com os objetivos globais da organização.

O líder pode afetar os anseios dos liderados, utilizando-se de estratégias que potencializam a eficácia e a motivação dos mesmos.

De acordo com a teoria do Caminho e da Meta, o líder precisa escolher diferentes estilos de liderança para lidar com as necessidades contingenciais de uma determinada situação.

2.1 QUATRO ESTILOS de LIDERANÇA
Estilo Diretivo
Estabelece diretrizes sobre padrões e para comunicar expectativa.

Efeito:
Afeta positivamente a satisfação dos liderados que trabalham em tarefas ambíguas, como as de relações públicas ou comunicação.

Afeta negativamente aos que trabalham em tarefas claramente definidas, como por exemplo, as de uma linha de produção.

Estilo de Apoio
Dá ênfase a demonstrar a preocupação com o bem-estar dos membros do grupo e desenvolver relacionamentos mutuamente satisfatórios;

Efeito:
Afeta positivamente a satisfação dos liderados que trabalham em tarefas insatisfatórias, stressantes ou frustrantes, como as atividades de atendimento ao público;

Estilo Participativo
Envolve a consulta aos membros do grupo para solicitar suas sugestões e então usá-las para tomar decisões;

Efeito:
Afeta positivamente a satisfação dos liderados que estão envolvidos pelo ego em tarefas não repetitivas, como as de um centro de pesquisa ou atividades de criação ou estratégicas;

 

Estilo Orientado pela Realização
O líder estabelece metas desafiadoras, promove a melhoria do trabalho, cria expectativas altas e espera que os elementos do grupo assumam responsabilidades.

Efeito:
Afeta positivamente a confiança de que o esforço levará ao desempenho eficaz dos liderados que trabalham em tarefas ambíguas e não repetitivas, como as atividades que envolvem projetos ou vendas.

3- TEORIA SITUACIONAL de HERSEY e BLANCHARD

Modelo é baseado em duas variáveis:
           1ª – O líder orienta as tarefas e o tipo de relacionamento que mantém com seus seguidores.

            2ª – Relaciona-se à maturidade dos subordinados.
(A maturidade está relacionada somente ao desempenho das tarefas, não refletindo idade.)

4- TEORIA do RECURSO COGNITIVO (Troca entre Líderes e Liderados)

Essência desta teoria:
O stress é inimigo da racionalidade.

A importância da inteligência e da experiência do líder difere nas situações de alta e baixa tensão.

Ou seja:
– O comportamento diretivo resulta em bom desempenho apenas quando vinculado à alta inteligência em de baixo stress;
– Nas situações de grande stress, existe uma relação positiva entre experiência no trabalho e desempenho;

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018