Teoria de Hofsted

Tomar decisões

Tomar Decisões

Pontos

Procure ser melhor

Resumo

Tomar uma decisão é algo que exige muito de todos nós.

Tomar decisões envolve a identificação do problema, bem como definir os critérios, analisar, escolher alternativas e verificar a eficácia da decisão.

Videos

Resultados:

Quando precisamos tomar uma decisão importante, a tendência é que deixemos a emoção falar mais alto e fiquemos cegos para os fatos reais que a envolvem. Para que isso não aconteça, o ideal é que coloquemos em um quadro ou em um papel, os prós e contras de determinada decisão. 

Assim, teremos uma visão mais ampla das implicações de cada uma delas e poderemos decidir de maneira mais assertiva, segura e racional. 

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018

Resolver Problemas

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018

Missão do Empresário

MISSÃO DO EMPRESÁRIO

Pontos

Procure ser melhor

Resumo

Missão de todo aquele que é Empresário

Não desista de fazer a Diferença. Deus já planeou tudo para si. Agarre esta verdade e siga em frente, alcançando o que Deus já lhe deu.

Temas

Resultados:

Nunca duvide das promessas de Deus porque Ele proverá sempre.

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018

Arte da Comunicação

ARTE DA COMUNICAÇÃO

Pontos

Procure ser melhor

Resumo

Um bom comunicador tem a sabedoria de escolher bem as palavras e o talento de as articular bem...

Quem comunica de forma complicada e difícil, usando um vocabulário hermético, não comunica, mas antes isola, exclui, discrimina; está tão-somente a pensar em si e não em quem o ouve ou lê.

Temas

Muitos são os obstáculos e dificuldades existentes perante um publico.
A comunicação vai muito para além das palavras.
Um publico motivado é um caminho facilitado.
Um orador com baixa autoestima é um orador enfraquecido.
O medo é terrivél mas quando controla torna-se uma vantagem.
A linguagem corporal de um orador fala mais alto que as suas palavras.
Conheça os sinais da linguagem corporal de quem está ao seu redor.
Comunique-se de forma eficaz, tirando proveito de todo o corpo.

Resultados:

Comunicar bem é, pois, saber articular habilmente as várias componentes da gramática: escolher bem as palavras, combiná-las o melhor possível e, por fim, colocar adornos estilísticos com conta, peso e medida. São estes adornos que conferem valor, carisma e impacto à nossa comunicação e que podem (ou não) tocar, emocionar e inspirar quem nos ouve ou lê.

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018

MASP – Método Analise e Solução Problemas

MASP (Método de Análise e Solução de Problemas)

A metodologia 8D, cujo nome se origina do inglês 8 DO – ou seja, 8 ações
É uma forma sistemática de aplicação de várias ferramentas da Qualidade.
Ela complementa e integra essas ferramentas, potencializando seu alcance.

8 AÇÕES PARA A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

1 – Formar uma equipe

A formação da equipe que irá tratar o problema deve levar em conta as competências de cada um.
Porque eles vão usar seus conhecimentos para encontrar a causa e a solução mais adequada para uma Não Conformidade.

Como os problemas não são iguais
A equipe que vai tratar de cada um também não precisa ser sempre a mesma.

Não esqueça de definir um líder para conduzir o processo!

2 – Descrever o problema

Do quê afinal estamos a falar?
É importante que toda a equipe tenha um bom entendimento sobre o problema tratado:
Onde ocorreu
Como se manifestou,
Qual o tamanho do estrago…

Toda informação é bem vinda nessa hora!
E só depois que não houver mais dúvidas sobre o que ocorrência do problema é que se passa para o próximo passo.

3 – Ação imediata

Claro que ninguém quer conviver com um problema…
Mas a solução definitiva dele pode levar algum tempo.
Por isso, nesse momento devem ser tomadas ações de contenção ou correção;
Que vão proteger os interessados (processo ou cliente) dos efeitos do problema.

É como um torniquete, que funciona para estancar uma ferida.
Mas não é a solução definitiva para o ferimento.
Fique atento durante essa fase, pois ela pode até dar pistas da solução definitiva!
Supervisionar das ações imediatas é muito importante. 

4 – Procurar as causas

Aqui começa o trabalho investigativo.
Cada provável causa deve ser analisada.
Até que entrem num consenso sobre qual é a mais provável, a causa raiz do problema.

É uma fase em que todos aprendem muito sobre os mecanismos das causas.
E todas as sugestões devem ser consideradas.
Cada membro da equipe contribui com sua visão do problema e possíveis ações corretivas podem ser identificadas.
Uma delas será a arma eficaz para matar o problema!

5 – Verificar as ações corretivas

As melhores ações corretivas propostas no passo 4 devem ser testadas na prática para confirmar se resolvem o problema sem trazer consequências inesperadas ou indesejadas, como um custo elevado no processo, criação de um gargalo, etc… Se for preciso, voltamos à prancheta e refazemos o passo 4.

6 – Implementar ações corretivas

Definidas as ações que realmente eliminam o problema, é hora de implementá-las de forma permanente.
É aqui que a solução é oficializada.
Para garantir, convém acompanhar o desempenho do processo por mais um tempo e estabelecer os controles necessários para garantir sua eficácia.

7 – Prevenir reincidências

Quando um problema é solucionado consequentemente ocorrem mudanças na rotina.
Se essas mudanças não forem bem tratadas, corremos o risco de ter nosso velho “amigo” aparecendo de novo…
Aqui é o momento de mudar procedimentos, especificações e IT´s, fazer treinamentos para fixar a nova forma adotada de trabalho, conscientizar os envolvidos.

8 – Comemorar!!!

Pensa que é brincadeira?
A ação final do processo 8D realmente é essa, afinal tanto trabalho deve ser reconhecido!
Felicitar a equipe é função do líder e dos superiores, e o resultado obtido deve ser divulgado a todos.
Isso incentiva as pessoas a participarem de futuros processos e dissemina o conhecimento na organização.

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018

Comunicação e a Linguagem Corporal

COMUNICAÇÃO E A LINGUAGEM CORPORAL

COMUNICAÇÃO inclui as PALAVRAS, GESTOS, POSSES e ENTOAÇÃO DE VOZ

São elementos responsáveis por garantir descontração, seriedade, autoridade e outras características às conversas.

O corpo é responsável por emitir aquilo que há no inconsciente da pessoa.
Revelando o que a pessoa é, de como se sente.

A linguagem corporal é a expressão do corpo quanto a pensamentos, falas e atitudes.
O movimento dos braços, das pernas e das mãos, são resultados do estímulo do inconsciente ao gestual.

Onde o cérebro determina certos movimentos, os quais ocorrem de modo involuntário.
Você já reparou que quando você está nervoso, fica inquieto?
Esse é uma reação do seu corpo ao que você sente.

Por isso, preste atenção em si mesmo e nos outros na hora da conversa.
Veja como realmente o corpo fala.

“Um gesto vale mais do que mil palavras”

Provavelmente você já ouviu esta frase, mas talvez não tenha se dado conta do quanto ela é verdadeira.

Quando aprendemos a:
– Prestar atenção em nossa linguagem corporal

– A interpretar corretamente a dos outros

Passamos a ter maior controle sobre as situações.

Podemos identificar sinais de:
– Abertura,

– Tédio,
– Atração
– Rivalidade
– etc…

E agir de forma adequada aos nossos objetivos.

Vantagens de saber ler a linguagem corporal:
– Causar uma impressão positiva nas pessoas.

– Ser bem-sucedido em entrevistas e negociações.
– Saber se uma pessoa está disponível.
– Criar vínculos rapidamente e obter a cooperação de alguém.
– Tornar-se uma pessoa agradável e sociável.
– Saber se uma pessoa está mentindo.
– Ler nas entrelinhas.
– Usar a linguagem corporal para conseguir o que deseja.

Há três classes de movimentos observáveis:
– Faciais,

– Gesticulares
– Postura

Podemos categorizar estes tipos de movimentos, mas a verdade é que estão fortemente entrelaçados.

A interpretação da postura

A postura é a chave não verbal mais fácil de descobrir
E observá-la pode ser muito interessante.

As pessoas tendem a IMITAR as ATITUDES CORPORAIS de quem gostam.

Exemplo de dois amigos se sentam exatamente da mesma maneira;
– A perna direita cruzada sobre a esquerda,

– As mãos entrelaçadas atrás da cabeça;

Denomina-se a esse fenómeno posturas congruentes.
Duas pessoas que compartilham um mesmo ponto de vista, acabam por compartilhar uma mesma postura.

Estudar a postura das pessoas durante uma discussão é extremamente interessante
Quase sempre podemos detectar quem está a favor de quem, antes de que cada um fale.

Pessoas que não se conhecem
Evitam cuidadosamente adotar as mesmas posições.

A importância da imitação
É das lições mais importante e significativas que podemos aprender.

Porque é a forma com que outros nos expressam que estão de acordo ou que lhes agradamos.

Se um chefe deseja estabelecer rapidamente uma boa relação e criar um ambiente tranquilo com um empregado, basta copiar a postura deste para obter seus objetivos.

POSTURAS CONGRUENTES = Expressam acordo

POSTURAS NÃO CONGRUENTES = Podem ser utilizadas para estabelecer distâncias psicológicas.

É muito importante saber ler os sinais corporais.

Exemplo de vendedores em casas de casais casados.
Devem observar os gestos dos cônjuges para ver quem os inicia e quem os copia.

Se o marido for o que mantém a conversação e a mulher não diz nada, mas você observa que ele copia os gestos da mulher, descobrirá que é ela quem decide e assina os cheques.
Então convém ao vendedor dirigir sua conversa à senhora. 

LISTA DE SINAIS

DEDOS

Contar nos Dedos
Pessoa lógica e sensata, separando os fatos na mente ao apresentá-los.

Contar a partir do Polegar
Indica uma apresentação forçada. 

Contar a partir do Dedo Mínimo
Um meio mais suave de transmitir suas ideias.

Manter os Dedos esticados enquanto conta
Pessoa que tem planos bem claros e sabe onde quer chegar com eles.

Apontar um dedo
A pessoa esta afirmando sua autoridade ou ilustrando um fato.

Abanar o dedo
Isto é uma ameaça: ele ou ela, o vê com hostilidade e está lhe passando uma repreensão.

Polegares
Indicam força de caráter e personalidade e são utilizados para demonstrar domínio, superioridade.

MÃOS

O gesto de exibir as palmas das mãos sempre foi associado com a verdade, a honestidade, a lealdade.

Alguns exemplos do dia a dia:

Juramentos
– Coloca-se a palma da mão sobre o coração

– A mão levantada com a palma para fora

Pedinte
– Coloca a palma da mão para cima

Alguém quer ser franco, honesto e sincero
– Levanta uma ou ambas as palmas das mãos e diz “vou ser sincero consigo”
Quando se começa a confiar noutra pessoa, expor as palmas das mãos torna-se um gesto inconsciente.

Há três gestos principais de gestos com as palmas:
– Para cima (já comentada)

– Para baixo
– Palma fechada com um dedo apontando em uma direção

A palma para cima é um gesto não ameaçador que denota submissão.
Quando alguém coloca a palma para baixo adquire imediatamente autoridade.
A pessoa receptora sente que está lhe dando uma ordem.
A palma fechada em um punho, com o dedo assinalando a direção, é o plano simbólico com que um ordena ao que o escuta para fazer que lhe obedeça.

Perante um publico/cliente a pessoa pode ter uma Posição Agradável ou Desagradável.

Posição agradável (recomendada)
– Palma da mão virada para cima

É uma posição que é agradável e deixa a outra pessoa numa posição confortável.

Posição desagradável – (cuidado no seu uso)
– Palma da mão espalmada para baixo

– Apontar para a pessoa

ALGUNS SINAIS GESTUAIS COM AS MÃOS

Mãos sobre a mesa
Dedicado aos negócios.
Querendo negociar, “vamos direto ao assunto”.
Demonstração de sinceridade e honestidade (braços abertos, mãos abertas e palmas para cima)

Mãos juntas sobre o colo ou estômago
Um gesto de proteção.

Mãos na cintura
Provocativo ou duro.
Ansioso para entrar no assunto principal.
Esse gesto também pode indicar um desafio.

Mãos nos bolsos
Necessidade de estar em contato com o próprio corpo.
Busca de equilíbrio frente a uma possível insegurança.

Quando estiver a falar com um cliente nunca fique:
– com as mãos nos bolsos
– com os ombros descaídos
– olhando para baixo

Mãos nos bolsos revelam que a pessoas está:
– pessoa insegura

– ou que está a mentir
– ou desconfortável com a situação

Nenhum cliente vai gostar de ver que a outra pessoa está desconfortável

APERTO DE MÃO

O aperto de mão é a primeira oportunidade de se tem de tocar no cliente.

Cuidado com a INTENSIDADE do aperto de mão
Use a mesma intensidade que a outra pessoa usou.

Procure usar uma intensidade MÉDIA.
Não estrangule a mão da outra pessoa, porque ela já não vai ouvir mais nada.

Pessoas que trabalham com as mãos tendem a fazer um aperto mais levemente, porque são as suas FERRAMENTAS TRABALHO.

3 TIPOS DE APERTO DE MÃO

Dominante Aperto com a palma da mão para baixo.
Geralmente é usado por quem tem um ALTO CARGO numa empresa.

Presidentes, Administradores, Diretores, …
Pessoas “intocáveis”, de estima ELEVADA

SubmissoAperto com a palma da mão para cima
Pessoas de BAIXA AUTO ESTIMA

Em regra, a venda para estas pessoas é muito mais fácil.

Neutro – Aperto com a palma da mão direita
Posição de igualdade, onde ninguém está acima de ninguém.

Três atitudes podem transmitir-se no aperto de mão:

A atitude de domínio
“Este individuo está a tentar submeter-me. Tenho que ficar de alerta”

A atitude de submissão
“Posso fazer o que quiser com essa pessoa”

A atitude de igualdade
“Eu gosto e nos daremos bem”

SINAIS GESTUAIS NO APERTO DE MÃO

Assumindo o controle
(a palma da mão voltada diretamente ou inclinada para baixo)

Está a dizer corporalmente à outra pessoa, que quer assumir o controle no assunto.
Transmite a ideia de Controle ou Poder

COMO REAGIR A UM APERTO DE MÃO DOMINANTE?

“Desfazer” o controle
Disfarçadamente, cumprimente dando um passo à frente e ao recuar endireite a mão.

Cuidado, para não parecer que vai um beijo à pessoa.

Concedendo o controle
(palma da mão voltada para cima)

Quando você deseja entregar o controle à outra pessoa.
Ou fazer com que ela sinta que está no comando da situação
Representa Submissão

O igual
(aperto de mão em paralelo, com as duas palmas na posição vertical)

Cada uma das pessoas transmitindo sentimento de harmonia à outra pessoa
Representa Respeito e Igualdade

Intimidade
(aperto com as duas mãos)

Pouco adequado para se usar em negócios com pessoas que não se conhece bem
Representa Intimidade e pode se tornar muito evasivo

Aperto de mão com invasão de território
(uso da mão esquerda segurando o braço)

Representa uma invasão da zona íntima do receptor

Aperto de mão com EMPATIA
(aperto de mão com um toque no cotovelo)

Um toque suave e discreto para não parecer estranho
Representa Amizade e Empatia

Esitante ou Hostil
(aperto na ponta dos dedos)

Se frouxo representa Hesitação
Se forte representa Hostilidade (estilo alicate)

Agressividade
(aperto e rodar a mão)

Representa Hostilidade e Agressividade

Falta de Higiene
(aperto com a mão molhada)

Representa falta de Higiene e Desleixo

MÃOS NO ROSTO

Quando uma pessoa usa um dos gestos de mão no rosto
Um pensamento negativo penetrou em sua mente

E poderá representar dúvida, falsidade, incerteza, exagero, apreensão ou mentira.
Em outras palavras,
Quando vemos, dizemos ou escutamos uma mentira, freqüentemente se tenta tapar os olhos, a boca ou os ouvidos com as mãos.

A proteção da boca (Guardião da boca)
Reprimindo as palavras falsas que estão sendo ditas.

O toque do nariz
Controlando um pensamento negativo ou uma mentira.
Pode ser uma ligeira esfregada ou um toque rápido e quase imperceptível.
A mentira causa formigueiro nos delicados terminais nervosos do nariz.

Uma explicação da origem do gesto de tocar o nariz é:
Quando a mente tem o pensamento negativo, o subconsciente ordena à mão que tampe a boca, mas, no último instante, para que não seja um gesto tão óbvio, a mão se retira da boca e toca rapidamente o nariz.

Esfregar o olho
Tentativa de bloquear a falsidade, dúvida ou mentira que vê.
Ou evitar olhar o rosto da pessoa para quem está a contar uma mentira.
Neste último caso, olha-se para o lado ou para o chão.

Esfregar a orelha
Tentativa do ouvinte de bloquear as palavras ouvidas, colocando a mão ao redor e sobre a orelha.

Variações:
Esfregar a parte de trás da orelha,

O dedo indicador puxando o lóbulo da orelha ou dobrando-a para frente.

Tédio (mão apoiando o rosto)
Demonstra falta de interesse (quando forem sinais emitidos pelo ouvinte).

Avaliação interessante
A avaliação é demonstrada pela mão fechada sobre a face, mas sem servir de apoio para a cabeça, e com o dedo indicador apontado para cima.

Tomada de decisão
O gesto de esfregar o queixo é um sinal de que o ouvinte está a tomar uma decisão.

MÃO e BRAÇOS 

Mãos com os dedos entrelaçados em posição vertical
Pode parecer uma gesto de bem estar porque a pessoa usa isso muitas vezes sorrindo e parece feliz.

Mas, é um gesto de frustração, retendo disfarçadamente uma atitude negativa.
Demonstra, pela posição elevada das mãos, uma certa intensidade de humor negativo.
É preciso provocar alguma ação para desenlaçar os dedos e expor as palmas e a parte dianteira do corpo, senão permanecerá a atitude hostil.

Mãos entrelaçadas em posição baixa
Retendo uma atitude, porém com menor intensidade do humor negativo.

O gesto de superioridade, confiança (mãos atrás nas costas)
Faz com que a pessoa exponha aos outros seu estômago vulnerável e as regiões do coração e da garganta, numa atitude inconsciente de “sem medo”.

Exemplos:
– O policia que as patrulha as ruas
– O diretor da escola que caminha pelos corredores da escola

O gesto da mão agarrando o pulso ou o braço
Sinal de frustração e uma tentativa de autocontrole.

Quanto mais para cima, nas costas, a mão é levada, mais zangada a pessoa se torna.
Pode ser uma tentativa ingénua de disfarçar o nervosismo.

BRAÇOS

Braços cruzados na frente do corpo
Indicam uma variedade de significados, dependendo da situação.

Pode ser uma forma de se resguardar, de se proteger ou de mostrar medo, timidez, força ou poder.
Como também uma pessoa com os braços cruzados pode, simplesmente, ser fria.
De uma forma geral demonstra uma posição defensiva.

Mãos fechadas demonstram atitude hostil
Se além dos braços cruzados, a pessoa também fechar as mãos, isso indica uma atitude hostil e defensiva, uma posição de ataque. 

Resistência firme
Demonstram uma atitude negativa e de autocontrole.

As mãos seguram fortemente os braços, reforçando a posição e detendo qualquer tentativa de descruzar os braços, expondo o corpo.

OBSERVAÇÃO:
Pessoas que carregam armas raramente fazem gesto defensivos de braços cruzados.
Porque a arma já fornece proteção suficiente ao corpo.

Os polícias que usam armas, raramente cruzam os braços.
A não ser que estejam de guarda, e neste caso, normalmente usam a posição de mãos fechadas para mostrar muito claramente que ninguém pode passar por onde eles estão.

PERNAS

Gesto padrão de pernas cruzadas
Pode indicar uma postura nervosa, reservada ou defensiva.

Em geral, é um gesto de apoio que ocorre junto com outros sinais negativos, e não devem ser interpretados isoladamente ou fora do contexto.

Posição americana de perna cruzada
Indica uma postura argumentativa e competitiva, onde se quer discutir o ponto de vista do outro.

Perna cruzada e presa
Sinal de uma pessoa perspicaz obstinada, com uma postura dura e firme, enquanto argumenta ou debate. Sua resistência provavelmente só será quebrada através de uma aproximação especial.

Tornozelo preso
Quando uma pessoa prende seus tornozelos, está mentalmente controlando seus lábios.
O gesto tem o sentido de reprimir uma atitude, emoção, nervosismo ou medo.

Inclinar-se para a frente ou recostar-se na cadeira
Aproximar o corpo pode significar um gesto de amizade ou interesse (“Fale-me mais”).
Encostar-se na cadeira indica uma diminuição de interesse
(“Deixe-me pensar no que você acaba de dizer”) ou até de indiferença.

O gesto de ambas as mãos atrás da cabeça
É típico das pessoas que se sentem confiantes ou superiores.
Muitas pessoas ficam irritadas quando alguém se dirige a elas com essa postura.

TERRITÓRIOS e DEMARCAÇÕES

Espalhar objetos à sua volta
Uma pessoa que coloca pastas, objetos pessoais, sacos de compras, …, à sua volta, está ampliando seu alcance e tenta ganhar mais território.

Divisão de território sobre a mesa
Posição competitiva, defensiva
A mesa funciona como uma barreira sólida de proteção para os dos lados que inconscientemente dividem a mesa em duas metades.
Pode comunicar uma posição distante ou independente dos lados. Tendem a rejeitar a invasão do território próprio.
Numa mesa de restaurante, duas pessoas competitivas tenderão a demarcar suas fronteiras com o copo, guardanapo, talheres, cinzeiro, etc.

GESTOS GERAIS

Gestos cruzados
De qualquer tipo, braços ou pernas, é sempre um gesto de confinamento, de proteção, um modo de fechar o circuito e bloquear a comunicação.

Gestos vagarosos e deliberados
Essa pessoa está se acalmando, controlando as ideias antes de atacar um ponto com firmeza.
É alguém que pensa e planeia as suas ações.

Falta de movimento
Uma pessoa que mantém o corpo imóvel procura se foca em si mesma, esperando que ninguém repare nela, ou também pode estar ouvindo ou planeando silenciosamente.
Pode ainda estar cauteloso ou de olho no cargo que você ocupa.
Essa pessoa precisa ser olhada com cuidado.

Gestos abertos e fechados
Geralmente os gestos abertos são confiantes, enquanto os fechados indicam corte e retraimento.

Virar de frente e virar de costas
Mesmo que apenas uma parte do corpo, os ombros por exemplo, vire para você, significa que você está sendo incluído na conversa ou na situação.
No entanto, se a pessoa lhe voltar as costas, indica exclusão.

Erguer a cabeça
Manter a cabeça erguida é um sinal de interesse, de estar aberto e receptivo à opinião dos outros.

Ilustrar com objetos ou com o corpo
Se alguém usa objetos sobre a mesa para sublinhar alguma coisa que está dizendo, é do tipo expansivo e sabe o que quer, mesmo que tente não se envolver muito.
Essas pessoas são realistas, não são sonhadoras.
Se usam os dedos e as mãos para ilustrar, estão próximas das ideias, alimentando-as.
Possuem um modo bem pessoal de ver as coisas.

Encostar-se em alguma coisa
Esta pessoa precisa de contato com seu ambiente e sente conforto em estar com outras.

Inclinar-se para frente e encostar-se na cadeira
Aproximar o corpo pode significar um gesto de amizade ou interesse (fale-me mais).
Encostar-se na cadeira indica diminuição de interesse (deixe-me pensar no que você acabou de dizer).

Evitar troca de olhares
As pessoas que reagem desta forma são inseguras de si mesmas e estão com medo de si.

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018

Sinais da Linguagem Corporal

COMPREENDENDO OS SINAIS DA LINGUAGEM CORPORAL

 

A COMUNICAÇÃO VERBAL é o método usual para a comunicação frente a frente, mas…
A COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL (Corporal, Gestual) influência completamente toda a mensagem.

A EFICÁCIA da comunicação depende da CAPACIDADE:

Emissor em expressar a intenção de forma precisa.
Receptor em ouvir de modo eficiente, totalmente à parte da compreensão da mensagem.
“Os olhos conversam tanto quanto as línguas que utilizamos, com a vantagem de que o dialeto ocular não precisa de dicionário, e é entendido no todo o mundo” (Ralph Wando Emerson)

O impacto de uma mensagem sobre o ouvinte está relacionado (Pesquisas):
07% – palavras (o que a pessoa diz)
38% – tom de voz (a maneira como fala)
55% – corpo, olhos, mãos, braços, pernas, dedos (expressão e gestos)

Num processo de comunicação há:
Um emissor, um receptor e um meio, pelo qual a mensagem é propagada.
Esse meio ou canal pode ser verbal, corporal e escrito.

O Administrador, Líder, Executivo não podem ficar alheios à linguagem corporal e aos seus efeitos.
Porque essa linguagem INFLUÊNCIA as pessoas com quem entram em contato.
O ditado diz “Uma imagem fala mais que mil palavras” 

Por vezes as pessoas estão a dizer uma coisa, mas os sinais corporais dizem o contrário.
É muito importante FALAR e COMPREENDER a LINGUAGEM NÃO VERBAL

OS SINAIS TAMBÉM PODEM VARIAR

Sinais relativos ao espaço, às cores e aos gestos corporais variam de acordo com:

Parte do mundo
Cultura do país

EXEMPLO
O sinal V, usado por Churchill, com os dedos indicador e médio, na Europa, significa vitória.
Na Austrália e Nova Zelândia indica insulto.

Os sinais também estão relacionados com a idade

A criança quando mente coloca a mão sobre a boca
O adolescente passa a mão pela boca
O adulto dá um leve e rápido toque de dedos no nariz

Sinais da movimentação do próprio corpo

Cada pessoa tem ao redor de si, como um campo de proteção, um território íntimo.
Essa área circular em torno da pessoa varia de acordo com a Cultura e a Região.
E é medida pela distância entre os corpos.

EXEMPLO
Essa área é menor entre pessoas da cidade do que as do campo.
Porque estão acostumadas com elevadores, congestionamentos. 
No Japão a proximidade do interlocutor é sinal de respeito.
Mas, no mundo Ocidental já é visto como uma invasão de privacidade.

A reação à invasão é variada
Pode-se fingir que não foi observada ou pode ser intensa.

EXEMPLOS
Num cinema vazio
Sentimo-nos invadidos se alguém senta do nosso lado ou em cadeiras próximas.
Num autocarro ou elevador lotado, onde o espaço é muito reduzido

As reações frequentes são:
Olharmos para um ponto distante, infinito, e não para as pessoas;
Fazer o possível para agir como se não estivéssemos ali;
Fazermos leitura de jornal ou revista, parecendo muito interessados na leitura;
Não demonstrar-mos emoções;
Pouca movimentação de corpos;

LEMBRE-SE:
Quanto mais conscientes e atentos estivermos, agiremos de forma mais inteligente.
É o que as pesquisas têm demonstrado sempre.

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018

Linguagem Corporal do Lider

LINGUAGEM CORPORAL DO LÍDER

Um bom líder, desenvolve uma série de características para ter sucesso nesse papel.
E algumas posturas fazem com que as pessoas sejam vistas / reconhecidas como líderes.

O Líder tem que trazer segurança para o Team através da:
Comunicação de expectativas
Feedback
Resolver problemas
Fazer acontecer

Terá também de:
Entender e desenvolver os talentos dos membros do team
Recompensar e dar exemplo
Levar o team a pensar, pedir conselhos a seus membros, fazer com que se sintam engajados.

“Líderes gostam de ser líderes”
Não pelo poder que têm, mas pelo impacto que podem causar em um ecossistema, à sua volta.

Os grandes líderes conseguem com uma simples presença, tornar o momento em algo especial.
São pessoas que:
Preenchem o ambiente,
Seguras de si,
Do seu papel, e da responsabilidade que têm.

É AQUILO que se chamA de “postura de líder”

DICAS DE POSTURAS DE UM LÍDER

Que lhe trazem segurança e fará com que as pessoas queiram ser lideradas por si.

Mantenha o contato visual e ouça

Ao falar com qualquer pessoa:
Mantenha o contato visual
Procure os olhos do seu interlocutor
Preste atenção na mensagem
Vire-se totalmente para quem estiver a falar, incline-se para sua direção.
(isso faz com que as pessoas sintam-se valorizadas, únicas e especiais)

No mundo, um dos maiores problemas é a comunicação
Demonstrar que você está verdadeiramente interessado com o que dizem, o fará ganhar muitos pontos.

Ocupe muito bem o espaço

Postura ereta, ombros para trás e cabeça erguida demonstram auto confiança.
Ficar em pé para falar com o team usando esta postura transmite a sua confiança para as pessoas.
Trabalhe na expansão da sua postura.

Nem 8 nem 80, nem quieto demais, nem dançarino demais
Deixe os pés separados e relaxe os joelhos; use gestos mais expansivos.
Use as mãos em gestos convidativos.

Cuide do seu tom de voz

Pessoas com vozes agudas e altas são vistas como nervosas e de um certo descontrole.
Segure o tom de voz e será visto como alguém confiável e com empatia.

Sorria e cuide das expressões faciais

O poder do sorriso é indiscutível!
Quando você sorri para alguém, é um convite para este sorrir de volta. 

Expressões faciais são como espelhos
Então, cuide da forma como quer ser recepcionado.
Além disso, as expressões faciais desencadeiam sentimentos correspondentes.

Aperto de mãos e credibilidade

A forma como aperta a mão das pessoas transmite credibilidade:
Os firmes e olhando nos olhos sugerem segurança, confiança
Os mais soltos transmitem apatia.

Isso é tanto para os homens como para as mulheres
Treine a intensidade do cumprimento, para não magoar alguém!

Não use posturas de nervosismo

Há posturas que demonstram nervosismo e falta de controle da situação:
Tamborilar os dedos na mesa
Mexer no cabelo
Apertar e estalar as próprias mãos
Manter os punhos fechados
Sobrancelhas altas
Balançar os pés

O que fazer quando se aperceber que está a fazer uma destas posturas?
Pise firmemente no chão, abra as mãos sobre a mesa, respire e acalme-se.

Sente-se corretamente

Em reuniões, jamais afunde na cadeira, como se quisesse ser engolido por ela.
Sente-se com as costas eretas
Queira ser visto, esteja em destaque

Uma boa dica é:
Sente-se numa cadeira mais alta, porque passa a ideia de destaque. 

Saiba ler a linguagem corporal 

O que fazer quando uma pessoa toma uma postura defensiva (distancia-se ou cruza os braços).
Tente trazê-la de volta para uma postura mais relaxada e focada.
Faça-a inclinar-se para si, mostrando algo na tela, oferecendo um folheto, etc…
Use a linguagem corporal a seu favor e sempre tente fazer com que as pessoas usem uma linguagem mais relaxada. 

CONCLUINDO
Para ser um bom líder, você deve entender a linguagem corporal, e saber usá-la a seu favor.
Transmita segurança para que as pessoas sintam vontade de serem lideradas por si! 

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018

Medo de Falar em Publico

DESMISTIFICAR O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO


Hoje em dia grande parte das profissões incluem funções que exigem falar em público.
Reuniões com clientes, fornecedores, colaboradores, …
Apresentações … para responsáveis da mesma ou de outras organizações
Comunicações … na reunião de condomínio,
Etc…
São situações que se repetem com cada vez mais frequência na nossa vida profissional ou pessoal.

Onde reside afinal de contas o problema de falar em público?
Porque será que a maioria das pessoas, receiam enfrentar um público?

Para muitas pessoas, o medo de falar em publico é superior ao medo:
Alturas, insetos, andar de avião, Divórcio, Desemprego, Etc…

Afinal de contas;
De que temos receio?
O que realmente nos atemoriza?

Se pensarmos um pouco sobre o assunto, podemos facilmente perceber que:
O medo ou receio que sentimos não é real;
A nossa integridade física não está em causa;
Aconteça o que acontecer, ninguém nos vai agredir ou devorar.

Mas o problema é que o sentimos como se fosse real.
E desencadeamos uma série de mecanismos de defesa que ao invés de nos ajudar, só irá complicar.

O medo de falar em público pode ser transformado na nossa maior força.
Desde que o encaremos de uma forma positiva.
Há que transformar toda a nossa energia interna proveniente do medo em energia positiva.

Canalizando-a em direção ao sucesso:
Aceitar a situação como uma Aventura
Transformar o receio em força, é o nosso maior desafio para vencer o medo.

OS BENEFÍCIOS DO MEDO

A função principal do medo é assegurar a nossa proteção.
O medo apura os nossos sentidos, dado que nos permite ficar mais alerta.
É o medo que nos ajuda a dar uma guinada no volante para evitar um acidente; etc…

Em certas ocasiões, o medo pode mesmo multiplicar as nossas capacidades.
– Muitos atores dizem ter necessidade do medo para atuar com intensidade.
– Atletas dão o melhor de si nas competições, no momento em que o stress atinge o seu máximo.

Acredite: A função original do medo é assegurar a nossa proteção e levar-nos a ficar mais vigilantes.

Já ouviu a expressão “o medo tem olhos grandes”?

Isto é porque em situações de perigo, apresentarmos essa manifestação fisiológica:
Abrimos mais os olhos, para ver melhor onde se encontra o perigo e podermos agir rapidamente.
De repente, todo o nosso organismo está a postos para … fugir … ou entrar em ação.
E tudo isto acontece de forma quase instantânea.

O medo, descontrolado ou excessivo, pode prejudicar-nos:
Paralisar-nos no momento de iniciarmos a comunicação,
Fazer-nos suar “em bica”,
Dar-nos “volta ao estômago”,
Entre outros sintomas pouco agradáveis de recordar. 

Mas, se devidamente controlado e nas devidas proporções o  medo pode ser canalizado para atuar em nosso favor.

Sem medo
A nossa energia pode ser insuficiente para que a nossa mensagem passe com convicção e vivacidade.

Os grandes atores, cantores, etc… que têm exposição face ao público, referem que:
É ao medo que vão buscar a força anímica que alimenta o seu carisma.
Sem ele, o risco de insucesso seria muito maior.

Porque não seguir o seu exemplo e utilizar algumas das técnicas por eles utilizadas.
Se com eles funciona, não há nenhuma razão para que não funcione connosco.

O poder da palavra é das competências mais valorizadas
E dominar as técnicas que nos ajudam a ser bem sucedidos é fundamental.

O sucesso da comunicação passa sobretudo pela atenção que quem comunica dá:
Ao que vai comunicar
E a quem

A falta de preparação é por isso o maior erro em que podem cair os comunicadores.
O controlo da voz,
Os movimentos, a postura e os gestos,
A maneira como encaramos a audiência,
As pausas,
A dicção e a entoação que damos às frases

São competências chave que permitem transmitir mais dinâmica às nossas intervenções.
Para que uma comunicação seja bem sucedida

Temos que dominar três eixos fundamentais: 

Conhecer-se a si próprio,
Para que possa potenciar os seus pontos fortes
Controlar os seus pontos menos fortes,
Desenvolvendo uma comunicação verdadeira e genuína,
Que lhe permita chegar aos seus interlocutores num estilo único e original. 

Dominar bem o tema da sua apresentação
Isso dar-lhe-á segurança na forma como transmite as suas ideias
Permitirá passar uma imagem de confiança e credibilidade.

Conhecer bem a audiência,
Para que possa recorrer à linguagem certa,
Adequar o conteúdo e a forma da sua apresentação.

O grande objetivo é que o público entenda e se entusiasme com a sua apresentação.

Podemos assim dividir estas competências de comunicação em dois grandes grupos:
– Competências verbais – A forma como eu digo aquilo que digo;
– Competências não verbais – O que eu faço enquanto digo aquilo que digo;

Estruture os conteúdos
A estruturação dos conteúdos é fundamental para o sucesso da nossa apresentação.

Há quatro questões que deve colocar a si mesmo:
Qual é o tema?
Quem é o público?
Quais são as circunstâncias?
Quando é a apresentação?

TÉCNICAS PARA CONTROLAR O MEDO

O medo de falar em público é uma das emoções mais frequentemente referidas pelos profissionais da nossa sociedade.

Quando temos de falar em público, nos sentimos pressionados para:
Demonstrar um bom desempenho,
Sentimos a ser avaliados
Colegas, superiores hierárquicos, clientes,
Ou simplesmente uma audiência anónima e queremos ser bem sucedidos.

Conheça o seu público
Antes da apresentação deve reunir o máximo de informação possível sobre a assistência.
Investigue, leia, recolha informação e…prepare-se!

Tenha objetivos claros
Deixe perfeitamente claro para si mesmo qual o objetivo da apresentação.
Será bom comunicar ao público o seu objetivo.

Saiba lidar com interrupções
A melhor forma de evitar interrupções é antecipando-as.
Tal significa que é você, e não a audiência, quem vai levantar a questão.

As vantagens são evidentes:
É você quem determina o timing.
É você quem decide como lidar com o problema e o que dizer.

Crie harmonia com a audiência
As pessoas não estão dispostas a ouvir alguém com quem não se sentem em harmonia, nem por quem não sentem empatia.
Como bom comunicador, cabe-lhe harmonizar-se com a assistência.

Eis alguns conselhos úteis:
Demonstre respeito pelo público;
Utilize uma linguagem perceptível para a audiência;
Assegure-se de que existe um ambiente agradável na sala;
Mantenha o contacto ocular com a audiência;
Procure não criar distância entre si e o público;
Seja cooperante.

Defenda uma IDEIA e não a si mesmo

O ser humano busca aceitação
E quando se aumenta a quantidade de pessoas a chance de agradar a todos diminui.

O segredo para vencer o nervosismo ao falar em público é
Não se esquecer que está a defender uma ideia, não você mesmo.

Assim, mesmo que cometa alguns erros técnicos
Comportar-se com naturalidade e os ouvintes ainda vão acreditar nas suas palavras e aceitar a mensagem.

Controle no início
O início é o momento mais difícil da apresentação.
A adrenalina acabou de ser liberta e você está a tentar se posicionar e até ouvir o som da própria voz.

Saiba exatamente quais serão suas primeiras palavras.

Não confie na memória

Memorizar todas as palavras de uma apresentação, pode parecer seguro e que o vai deixar tranquilo.
Mas, a experiência demonstra que não!!

Ha o risco de esquecimento de uma palavra importante na ligação de duas ideias e a instabilidade e insegurança poderá atacar.

O pior é se decorar uma apresentação
É a pessoa não se preparar psicologicamente para falar de improviso.
E ao não encontrar a informação de que necessita, ficará sem saber como contornar o problema.

Não se precipite

Não comece logo a falar diante do público.
Ganhe tempo para se acalmar e queimar o excesso de adrenalina:
Ajuste o microfone,
Ajeite as suas notas/folhas de apoio,
Olhar para os diferentes lados da plateia, …
Dá tempo para ter um pouco mais de controle, e não demonstrar desconforto e a instabilidade emocional.

Relaxe

No momento antes da sua apresentação, não tente se lembrar de todos os detalhes.
Porque isso só irá trazer mais pressão.
Procure distrair-se, prestando atenção no que as pessoas estão a dizer e nos fatos à sua volta.

Treine em voz alta

Leitura diária em voz alta de textos de jornais, revistas ou livros pode ajudar a melhorar:
A pronúncia
A respirar melhor.

Fale com o espelho

O melhor exercício de oratória é praticar, principalmente a introdução e a conclusão.
Preste muita atenção aos gestos, porque devem de estar em harmonia com o discurso.

Pode também treinar com:
Um amigo ou familiar
Filmar a apresentação e depois avaliar-se.

Enfrente as “Brancas”

Não desespere se lhe acontecer
Mantenha a calma (embora não seja simples), e as suas chances de sucesso aumentarão.

1- Como primeira tentativa, repita as últimas frases que pronunciou,
Como se desejasse dar mais ênfase àquela informação.

2- Se não der certo, diga ‘na verdade o que eu quero dizer é…’.
Isto pode ajudar, porque o obriga a recontar a mensagem por outro caminho.

3- Se não funcionar:
Diga aos ouvintes que voltará a àquele ponto mais tarde.

Olhe para a plateia

A comunicação visual deve atingir três objetivos:
Observar a reação dos ouvintes;
Prestigiar a presença das pessoas
Quebrar a rigidez postural na hora de olhar para um lado e para o outro

Expressão corporal

Os dois maiores defeitos da gesticulação são a falta e o excesso de gestos
Sendo que o excesso costuma ser mais grave do que a falta.

© Copyright © Kuriakos Negócios - Todos os direitos reservados - Proibida a cópia ...

Kuriakos Negócios 2018